Homenagem ao lendário herói ancestral dos ingleses que deu título a um dos considerados "Cem Maiores Livros do Mundo" e tido como o mais antigo escrito em "Old English".

domingo, 23 de novembro de 2008

HOMENAGEM A PORTO ALEGRE

Fugindo à rotina, aproveito esse tempo, há tanto e por todo o canto, chuvoso, para prestar uma singela homenagem à cidade de Porto Alegre, minha terra natal.
A idéia não é descrever, geográfica ou historicamente, a capital mais meridional do país. Sem desprezar qualquer dessas características, Porto Alegre representa, para mim, antes de qualquer coisa, a cidade onde nasci e me criei, onde conheci a minha namoradinha, ainda menina, que viria a ser a minha esposa, até hoje; a cidade onde tive a minha adolescência, os meus colégios de primário, ginásio e científico, daqueles tempos; da minha Faculdade de Engenharia da UFRGS e dos meus primeiros trabalhos como profissional. E a cidade que, por força desses mesmos trabalhos, eu deixaria com 32 anos de idade, para morar em Florianópolis.
Para realizar essa homenagem, apenas fiz juntar três ingredientes: uma linda canção gaúcha, cujo compositores, também gaúchos são Sérgio Napp e César Dorfman; umas fotos maravilhosas da cidade, antigas e recentes, com muito poder evocativo, para mim; e uma linda poesia do grande poeta gaúcho, da cidade do Alegrete, Mário Quintana. Depois, foi só misturar bem e cozinhar em fogo brando ... Ah, devo dizer que a ideia da produção dessa apresentação veio da minha querida prima Ieda Maria, muito carinhosamente chamada, por todos os seus primos, de Iedinha. Gaúcha que ama o seu torrão, sugeriu-me a ideia de prestar essa homenagem à cidade onde crescemos e a alguns lugares onde brincamos juntos, nos nossos irresponsáveis e maravilhosos tempos de criança.
Para apreciar o resultado, o que vocês têm a fazer é clicar no link Porto Alegre. Lá chegando, encontrarão outras instruções simples. Levará um par de minutos para abrir, já que o arquivo é meio pesado.
Quem conhece Porto Alegre, reconhecerá, dos tempos dos bondes, o viaduto sobre a Avenida Borges de Medeiros, a Praça da Matriz dos velhos tempos, ainda com o antigo Auditório Araújo Viana ao seu lado, a Avenida João Pessoa vista da "Lomba do Sétimo", podendo-se enxergar o antigo Colégio Júlio de Castilhos, incendiado ao final da década de 1950 e que deu lugar à Faculdade de Ciências Econômicas, além de outros monumentos das nossas lembranças.


O tão conhecido, e não menos lindo, "por do sol no Guaíba"

Evidentemente, a apresentação tocará mais a quem é de Porto Alegre; entretanto, sabemos que, de alguma forma, muitos dos nossos amigos já têm um pezinho por lá, de tanto ouvirem falar. Além do mais, sensibilidade independe do lugar de origem das pessoas; e se há coisa que os nossos amigos têm de sobra é essa qualidade.

Nenhum comentário: