Homenagem ao lendário herói ancestral dos ingleses que deu título a um dos considerados "Cem Maiores Livros do Mundo" e tido como o mais antigo escrito em "Old English".

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

THE NETHERLANDS OU HOLLAND?

Há poucos dias atrás, comentando sobre a questão “Pequim ou Beijing?” e motivado por aquela discussão, lembrei-me de ter ouvido e freqüentemente ainda ouvir, muitas vezes, pessoas – incluindo autoridades - usarem indiscriminadamente as palavras “Holanda” e “The Netherlands” (em português, Países Baixos). E lembrei-me também do meu amigo Gilberto Valente Canali, que havia feito, logo após ter-se formado em Engenharia Civil, um curso em Delft, “The Netherlands”, casualmente localizada na região de “Holland”, e resolvi realizar uma pequena pesquisa para esclarecer o assunto. Vamos lá...
Netherlands é o país europeu, parte do "Reino das Netherlands", que consiste das Netherlands, propriamente ditas, das Antilhas das Netherlands e Aruba, no Caribe. As Netherlands são uma monarquia constitucional democrática parlamentar, localizada na Europa Ocidental. Faz fronteira com o Mar do Norte, ao norte e oeste, com a Bélgica, ao sul e com a Alemanha a leste. É, portanto, o País. A figura abaixo mostra as Netherlands (em vermelho) e sua relação com a Europa.





A Holanda (em língua inglesa e dutch, Holland) é uma região na parte ocidental das Netherlands. Uma importante potência marítima e econômica no século XVII, a Holanda hoje é constituída pelas províncias Holanda do Norte e Holanda do Sul (“dutch provinces”) e é, portanto uma parte das Netherlands. Por falar em “Dutch”, é oportuno lembrar que essa palavra é usada para se referir às pessoas, à língua e à qualquer coisa nativa das Netherlands (em dutch, Nederland); em conseqüência, é absurdo dizer “fulano é holandês”, a “língua holandesa” etc…, mas deveria ser dito “fulano é dutch”, a “língua dutch” etc.. Consequentemente, quando referindo-se às “Netherlands”, como um todo, o adjetivo a ser empregado é “Dutch”. Tal termo não pode ser usado para “Holanda” em um contexto moderno, porque ele se refere a toda Netherlands e não apenas à Holanda. A figura que segue mostra a Holanda (em laranja) dentro das Netherlands.
Com relação à língua falada nas Netherlands, é interessante registrar que tanto o “dutch” como o “frisian” são línguas oficiais daquele país.





As Netherlands são, muitas vezes, chamadas de Holanda, o que é, portanto, formalmente incorreto, uma vez que a Holanda do Norte e a Holanda do Sul são meramente duas de suas doze províncias. Esse exemplo de “pars pro toto” ou sinédoque é bem similar à tendência que existe em se referir ao Reino Unido como “Inglaterra”.
O nome Holland (tanto em inglês, quanto em dutch) apareceu documentado, pela primeira vez, em 866 AD, para caracterizar a região ao redor de Haarlem e, por volta de 1064, era usada para indicar o nome de todo o distrito. Nessa época os habitantes de Holland referiam-se a si próprios como “Hollanders”; Hoje em dia, esse termo refere-se, especificamente, ao povo das provícias de North Holland e South Holland. Portanto, estritamente falando, o termo “Hollanders” não se refere ao povo de toda as “Netherlands”, embora, coloquialmente, Hollanders (holandeses) seja muitas vezes e erradamente usado nesse contexto mais amplo.





A palavra Holland é derivada do termo “dutch” holtland (que significa “terra florestada”). Essa variação de escrita permaneceu em uso até mais ou menos o século XIV em cuja época o termo estabilizou-se como Holland. Popular, mas incorreta, a etimologia sustenta que Holland é derivada de hol land (“terra côncava”) e foi inspirada pela geografia de terras baixas predominantes na Holanda. Em contrapartida, a palavra “dutch” Nederland, significa terras baixas ou inferiores” e, essa sim, tem a sua razão de ser.
Como a maioria sabe, as Netherlands é, geograficamente, um país de terras baixas, com 60% de sua população vivendo abaixo do nível do mar. Áreas significativas do país foram obtidas através de aterro marítimo e preservadas através de um elaborado sistema de diques e “polderes”. Não é à toa que grandes e renomados centros de hidráulica surgiram exatamente naquele país e têm, por tanto tempo, atraído estudiosos de todo o mundo em busca de novos e eficientes conhecimentos nessa área.

9 comentários:

Vaper disse...

Obrigado pela explanação mestre!!!
Abraço!!!

Nelson Azambuja disse...

Prezado Vaper:

Fico muito feliz por ter podido ajudá-lo de alguma forma,como ajudei a mim mesmo com a pesquisa. Espero poder continuar contribuindo.
Um grande abraço,
Nelson Azambuja

anita disse...

👏👏👏👏
Maravilha de esclarecimento,acabei de chegar de viagem e tentei explicar à minha mãe,no q se recusou a entender...enfim,fiz um print e espero q agora ele tenha compreendido!!!
Tks a million

anita disse...

Adorei a explicaçao....muito obg!!!!

Nelson Azambuja disse...

Prezada Anita:
Fico muito feliz por ter o artigo servido para ajudar alguém, além de mim. Espero poder continuar a contribuir.
Abraço,
Nelson.

Fernando Henrique Negri disse...

Excelente post

Nelson Azambuja disse...

Obrigado, Negri.
Abraço.

Victor disse...

Muito bom... Parabéns. Que Deus o abençoe.

Nelson Azambuja disse...

Muito obrigado, Victor. É um grande prazer saber que algumas pessoas gostam.
Volte sempre!
Abraço.